Papel fotográfico: como escolher a melhor opção para minhas fotos?

A fotografia digital facilitou muito o seu trabalho, nós sabemos!

Facilitou o nosso, também.

Mas, hoje, da mesma maneira que é muito fácil ter uma foto, é muito fácil também perdê-la. Assim como qualquer outro conteúdo impalpável: seu cliente troca de celular e de computador todo momento, e a falta de locais confiáveis para armazenar fotografias digitais e mantê-las é um problema…

Álbum de fotos acompanhará seu cliente por toda a vida!

Você sabe disso melhor do que ninguém!

Então, use o argumento: o álbum de fotos segue sendo a melhor maneira de contar uma história, documentar uma vida ou guardar para sempre as memórias daquele aniversário dos sonhos ou daquele momento mágico…

Diferentemente do Instagram, a preocupação não é com a próxima imagem ou com a quantidade de likes: ao folhear um álbum de fotografias, é emocionante recordar o momento por trás do clique.

E nada substitui a certeza de que, por trás de um álbum de fotos, haverá sempre uma memória gravada, a qual o tempo não vai destruir.

Para que seu trabalho cumpra o objetivo e ultrapasse gerações resistindo firmemente à passagem do tempo, há algumas coisas que você precisa observar. Uma delas é o tipo de papel fotográfico que você emprega em suas revelações.

Para entregar imagens com alto padrão de qualidade, escolher o melhor papel para mostrar seu trabalho pode ser uma tarefa de tirar o sono.

Afinal de contas, o tipo de papel fotográfico influencia o resultado final do seu trabalho.

Dicas para escolher o SEU papel!

Pensando nisso, reunimos algumas dicas para que você consiga fazer uma boa escolha na hora de entregar aquele trabalho incrível para os seus clientes.

Afinal de contas, a fotografia precisa ser tão incrível quando o momento retratado, não é mesmo?

Quero comprar O MELHOR tipo de papel!

Antes de tudo, saiba de uma coisa: não existe um papel que seja o melhor para todos os casos, de forma absoluta. Tudo depende do seu objetivo com a foto. Ou seja, para cada resultado, um tipo de papel será recomendado.

Quais são os tipos de papel?

Há vários tipos de papéis fotográficos diferentes.

Você, que é fotógrafo profissional, sabe que o verdadeiro papel fotográfico é o fotossensível, utilizado na revelação química. Portanto, ele sempre será o melhor e mais duradouro.

Fora isso, cada tipo de papel fotográfico carrega um nome que traduz as suas especificações. Elas, por sua vez, diferenciam os acabamentos mais comuns: papel brilhante, papel semibrilhante e papel fosco.

BRILHANTE

Proporciona fotos com cores vivas e vibrantes. Ele destaca os detalhes da imagem. Os papéis considerados brilhantes, diferente da qualidade semibrilho, têm alto poder de reflexibilidade, interagindo e ganhando mais vida quando em contato com a luz. Este é, também, o tipo de papel fotográfico mais sensível ao toque: por ser muito reluzente, as marcas de impressões digitais ficam visíveis.

  • Perolado: entrega imagens brilhantes com textura superior. Seu diferencial é não refletir tanto a luz, o que assegura um contraste mais evidente. É muito mais brilhante que o tradicional papel brilho, sua superfície é extremamente reflexiva. Se o profissional deseja um destaque chamativo em suas fotos, essa é a escolha certa.

SEMIBRILHANTE

Tem um brilho espalhado na textura fosca. Em geral, está dividido em duas categorias, ou melhor, em dois padrões de qualidade. Eles são:

  • Lustrosos: é possível perceber brilho neste tipo de papel, mas um tanto menos que na categoria citada acima. É preciso ter cautela ao utilizá-lo, pois o resultado pode conter marcas de impressões digitais. Empregue-o se a sua fotografia tiver em alta resolução e ele vai entregar o resultado que você precisa.

FOSCO

O papel atinge um bom resultado para fotografias profissionais em alta resolução, pois consegue proporcionar um ótimo acabamento.

  • Velvet: é o melhor papel de todos para uma fotografia de qualidade inquestionável. É o tipo indicado para fotos de grandes casamentos. Ensaios de gestantes e newborn podem se beneficiar desta escolha, pois o toque do papel lembra o toque e a maciez da pele do bebê.

  • Silk: também conhecido como papel linho, é um dos o queridinho dos fotógrafos. Tem como grande diferencial a leve textura. Por ter o acabamento fosco, proporciona enorme ganho em nitidez, mantendo um bom custo-benefício.

Além disso…

 Existem as laminações UV Fosco e UV Brilho, que estão entre o que podemos chamar de “acabamentos clássicos”, já que estão presentes na revelação e encadernação fotográfica há alguns anos. Os papéis fosco e brilho passam por laminações térmicas, o que garante um acabamento mais fino e maior durabilidade para as fotos.

Então…
Agora que você já conhece todos os tipos de papel, esteja de olho também em outros aspectos, que são:

  • resolução da foto,
  • no formato,
  • na gramatura do papel,
  • acabamento desejado;

Tudo isso vai influenciar no resultado final e no valor do seu trabalho. Queira que suas fotografias impressionem para que o seu trabalho seja para sempre. Se precisar de uma mãozinha, conte conosco da Viacolor.

Diferença entre impressão e revelação de fotos: decida até qual geração o seu trabalho vai chegar

Você deve ser questionado sobre qual é a diferença entre impressão e revelação fotográfica inúmeras vezes durante o dia. E é provável que você já tenha dito: “Nenhuma!” e…

Bom, a história não é bem assim!

É natural que as pessoas, incluindo alguns fotógrafos profissionais, acreditem que a escolha é totalmente desnecessária e que imprimir ou revelar não influencia em absolutamente nada no resultado final.

Mas, na verdade, há bastante diferença entre impressão e revelação de fotos . Vamos começar entendendo o que acontece em cada um dos processos.

impressão e revelação de fotos

Impressão de fotos: de tão simples pode ser feita em casa

Funciona de um jeito muito simples: uma impressora imprime as fotos como qualquer outra imagem ou tipo de impressão em papel, que pode ser papel fotográfico ou qualquer outro tipo, como o Couché, por exemplo.

O processo é, basicamente, tinta sobre o papel. Hoje, há impressoras com custo acessível, as quais contam com esse recurso. Qualquer um pode ter sua própria máquina de impressão.

impressão e revelação de fotos

Revelação de fotos: processo químico para profissionais!

A revelação é um processo químico. É composto por várias etapas, nas quais são empregados produtos que resultam em uma reação fotoquímica.

No caso das fotografias digitais, há uma máquina que replica todo o processo da revelação convencional antiga. O papel utilizado é do tipo fotossensível. Na Viacolor, utilizamos o papel da marca Fujifilm.

Como é feita a revelação de fotos?

O processo de revelação, em função das suas próprias particularidades, oferece uma maior precisão para a sua foto.

Devido à reação fotoquímica, ele gera pontos de cor e sombra em nível microscópico, o quais são formados por cristais de Haleto de Prata no campo digital.

Isso garante maior nitidez às fotos, já que possui um range e espectro muito maior em reprodução, o que assegura um maior tempo de vida do que uma foto impressa.

Tudo isso em um curto intervalo de tempo.

impressão ou revelação de fotos

Diferenças entre impressão e revelação de fotos

A diferença principal está no tempo de duração da fotografia: enquanto o serviço de impressão garante 15 anos de durabilidade em cada foto, a revelação é o processo que faz uma foto durar 200 anos.

 Além disso, há outros pontos que nos mostram o quão superior é o processo de revelação das fotografias.

  • A textura do papel fotográfico fotossensível utilizado na revelação é diferenciada. Por ser mais encorpado, ele garante que a foto dure muito mais tempo.
  • Na revelação, as imagens são mais nítidas. Na impressão, as sombras ficam granuladas e isso acaba reduzindo a nitidez.
  • Na impressão, as cores são mais vibrantes, pois a gama de cores é muito maior. Já na revelação ocorre uma reação fotoquímica, que gera pontos de cor e sombra em nível microscópico, o que torna a imagem mais fidedigna.

Quando se deparar com o momento de decidir entre impressão e revelação, pense em qual geração você gostaria que o seu trabalho alcançasse.

Se você for fazer fotos de uma criança, pense se você gostaria que os netos dela vissem essas fotos. Essa decisão é só sua!

 

Afinal, se não for para eternizar o momento, a fotografia perde o encanto. Não é?