TRIMESTRE DE OURO: brasileiro arrasa no mercado fotográfico internacional!

É uma satisfação imensa quando vemos que nossos parceiros estão tendo reconhecimento mundo afora. Nossa mais recente alegria foi testemunhar o trimestre incrível que a vida reservou para o brilhante profissional da fotografia (e nosso cliente) Jared Windmüller.

Veja o que aconteceu na carreira de Windmüller e se inspire:

 

FEVEREIRO

Jared Windmüller foi eleito “Artista do mês” pela premiada empresa alemã fabricante de papel fotográfico Hahnemühle. Ele concedeu uma entrevista que foi publicada no blog da empresa – que foi fundada em 1584. Clique aqui para ler (em inglês).

MARÇO

A ProfiFoto – revista alemã mais popular entre os fotógrafos profissionais do país – trouxe algumas fotografias do brasileiro em suas páginas. Entre vários fotógrafos, ele foi o escolhido para estar em um publieditorial de duas páginas da Hahnemühle.

  • Uma das imagens é do Parque Nacional de Canyonlands, localizado em Utah (EUA), onde o fotógrafo vive.

  • A outra imagem é de Viena, na Áustria. O registro foi feito em 2014 pelo profissional durante ensaio do cônsul da República Checa em Blumental e sua esposa.  

ABRIL

O profissional acompanhou a gigante Hahnemühle também no Brasil. O stand da empresa da Feira Fotografar – que acontece todos os anos em São Paulo/SP – trouxe exposta uma imagem de Wedding Photoshoot assinado por Jared Windmüller.

Rápida biografia de Windmüller

O fotógrafo Jared Windmüller nasceu em Joinville/SC. Ele manteve sua própria galeria fineart na praia de Jurerê Internacional, localizada em Florianópolis, até 2016.

No mesmo ano, decidiu emigrar para Utah (EUA), atraído pelas belezas naturais do lugar.

Entre os feitos de Windmüller, estão o status de primeiro artista e testar o novo papel fineart Photo Rag® Metallic. Este papel se destaca pelo tom prata cintilante do seu acabamento.

Nossa equipe da Viacolor se sente honrada em ser a escolha de grandes nomes da fotografia, como Jared. Que tenha sucesso sempre, por todos os cantos onde passar!

Por que o fotógrafo é um contador de histórias?

Por trás do registro de grandes histórias há, sempre, um grande contador delas. E quando contadas por meio de imagens, procure o nome de um brilhante fotógrafo: pois lá é que ele vai estar.

Com o passar do tempo, equipamentos fotográficos também foram popularizados. Sabemos que, hoje, todos podem tirar fotos. As câmeras de telefones celulares estão cada vez mais sofisticadas.

Isso acontece porque todos queremos documentar e contar uma história. Pode ser a história daquele domingo ou daquele natal… As pessoas querem ter memórias de seus momentos bons.

E a tecnologia é aliada nesse processo. Ela vem avançando e aprimorando equipamentos para que histórias sejam documentadas de forma cada vez mais realista e detalhada.

Empresas estão criando múltiplas câmeras, que são unidas para simular profundidade de campo, por exemplo. Melhora da nitidez, melhora do achatamento de planos… Tudo isso para tornar um relato mais real.

Para que ele não se apague da memória. E qual é o papel do fotógrafo profissional nesse contexto, então?

O fotógrafo testemunha e registra a história…

Partindo do pressuposto que cada pessoa conta uma história a seu modo, uma pessoa comum pode contar sua histórias e esta será, apenas, a sua versão. A qual nunca será igual à de outra pessoa.

Então, quem vai estar lá para contar as histórias mais importantes da vida dela?

Não interessa qual história seja: o dia de seu casamento, o nascimento ou batizado do filho dela, uma grande catástrofe natural ou pequenos acontecimentos do cotidiano…

Quando ela quiser fechar os olhos e apenas viver a história, quem é que vai documentá-la para que ela, no futuro, tenha registros do que aconteceu?

Confie na ótica do fotógrafo para contar sua história

Você, fotógrafo, é o profissional que tem o dom de criar – por meio da observação – uma narrativa para todos os acontecimentos. Nenhum de nós vai saber capturar tão bem um momento – com tanta técnica de criatividade – quanto você.

Além disso, nossos registros são facilmente perdidos entre HDs e locais de armazenamento. O trabalho do fotógrafo, pelo contrário, tem valor: foi feito para atravessar muitas gerações.

Grandes fotógrafos sempre estarão lá para contar grandes histórias.
Steve McCurry. Sebastião Salgado. Platon Antoniou. …

Todos eles são contadores de histórias. Assim como aquele fotógrafo em início de carreira, que está aprimorando técnicas e montando portfólio…

Obrigada pela disposição para contar nossa história em todos os momentos!

Conheça 5 fotógrafas que já entraram para a História

Hoje é dia de valorizar as colegas fotógrafas que, mesmo ainda carecendo do devido reconhecimento (a luta está só começando!), todos os dias levantam, saem de casa e trabalham para deixar sua marca no mundo da fotografia. Para inspirar a todos nós, separamos aqui cinco mulheres que fizeram e fazem História com seus cliques.

Alice Martins (1980 – )

Brasileira nascida em 1980, Alice mora no Iraque e faz cobertura da crise humanitária causada pelos conflitos no Oriente Médio. A Guerra da Síria e os confrontos contra o Estado Islâmico no Iraque foram registradas por suas lentes. É colaboradora de veículos como Harper’s, Time, Stern, Newsweek e The Washington Post.

 


Annie Leibovitz (1949 -)


Conhecida como a “fotógrafa dos famosos”, seu registro mais icônico é a fotografia de John Lennon abraçado com Yoko Ono para a capa da Rolling Stone, em 1971. A americana é conhecida por estabelecer uma relação de intimidade com os modelos que retrata. Já fotografou Angelina Jolie, Demi Moore, Dolly Parton, Whoopi Goldberg, entre outras celebridades.

Crédito do retrato: Julian Siammonds


Carol Guzy (1956 – )

Única jornalista a receber o Prêmio Pulitzer quatro vezes e primeira mulher a ganhar o prêmio Newspaper Photographer of the Year. Fotógrafa do jornal The Washington Post desde 1988, registrou eventos como a erupção do vulcão colombiano Nevado del Ruiz em 1985 e a tragédia no Haiti após o terremoto de 2010. Sua fotografia mais famosa é de 2000, quando clicou o refugiado do Kosovo Agim Shala, de dois anos de idade, passando por uma cerca de arame farpada para ficar com sua família.

Crédito foto menino: Carol Guzy / The Washington Post / Getty Images
Crédito Retrato dela: Jeanie Adams-Smith



Carrie Mae Weems (1953 – )

Nascida em Oregon, Carrie é atualmente uma das mais influentes artistas americanas. A fotógrafa se notabilizou por abordar de forma investigativa questões como racismo, identidade cultural, desigualdade de gênero e classe. Sua arte envolve fotos, texto, tecido, áudio e vídeo.

 


Dorothea Lange (1895-1965)


Considerada a fotógrafa da Grande Depressão, é autora de uma das fotos mais conhecidas da História dos Estados Unidos: Mãe Migrante, de 1936. Na imagem, Florence Owens Thompson, 32 anos, aparece abatida e triste por não ter comida para os filhos. O registro apareceu em mais de 10 mil publicações e jornalistas americanos passaram décadas tentando encontrar Florence, que foi localizada apenas em 1970, vivendo em um trailer. Com suas lentes, Dorothea Lange deu vida aos pobres, aos esquecidos, perseguidos, famílias do campo, trabalhadores e imigrantes. Seus registros retratam uma época de sofrimento. Ela morreu em decorrência de um câncer de esôfago em 1965, alguns dias antes de inaugurar a exposição que retratava sua obra no Museu de Arte Moderna, de Nova York