Viacolor e Pic-Time lançam parceria para gerar soluções inovadoras no mercado fotográfico


Hoje nós vamos falar de uma grande notícia para a comunidade fotográfica do nosso país. A Viacolor é a primeira parceira da plataforma Pic-Time na América do Sul. Para quem não conhece, a empresa norte-americana já atua no mundo todo oferecendo soluções de inovação para o fotógrafo. Serviços como montagem de site, galeria de fotos, diagramação, disparador de e-mail marketing, desenvolvimento de marca, entre outros, agora estão disponíveis também para os profissionais que atuam no mercado brasileiro. E o melhor é que tudo está num lugar só, para ser usado de forma intuitiva e descomplicada.

Você deve estar se perguntando: mas como a Viacolor entra nessa história? Nós seremos o laboratório fotográfico responsável por todo o material gráfico gerado para os clientes. Vamos produzir e imprimir os álbuns, calendários, cartões de visita e tudo mais que nossos colegas fotógrafos precisarem. Afinal, são mais de 20 anos de experiência oferecendo os melhores produtos do mercado, incluindo opções personalizadas e artesanais.

Para celebrar esta união que já é sucesso, estamos oferecendo um desconto de 10% em todos os produtos Viacolor/Pic-Time até às 23h59 de hoje, dia 25 de abril. E mais: dois meses de gratuidade na assinatura dos planos Pic-Time. Acesse seu desconto clicando aqui.

Nossa parceria está estabelecida para ajudar a compartilhar o trabalho dos fotógrafos do início ao fim, do site ao impresso. Agora só falta você fazer parte dessa grande comunidade. Junte-se a nós!

TRIMESTRE DE OURO: brasileiro arrasa no mercado fotográfico internacional!

É uma satisfação imensa quando vemos que nossos parceiros estão tendo reconhecimento mundo afora. Nossa mais recente alegria foi testemunhar o trimestre incrível que a vida reservou para o brilhante profissional da fotografia (e nosso cliente) Jared Windmüller.

Veja o que aconteceu na carreira de Windmüller e se inspire:

 

FEVEREIRO

Jared Windmüller foi eleito “Artista do mês” pela premiada empresa alemã fabricante de papel fotográfico Hahnemühle. Ele concedeu uma entrevista que foi publicada no blog da empresa – que foi fundada em 1584. Clique aqui para ler (em inglês).

MARÇO

A ProfiFoto – revista alemã mais popular entre os fotógrafos profissionais do país – trouxe algumas fotografias do brasileiro em suas páginas. Entre vários fotógrafos, ele foi o escolhido para estar em um publieditorial de duas páginas da Hahnemühle.

  • Uma das imagens é do Parque Nacional de Canyonlands, localizado em Utah (EUA), onde o fotógrafo vive.

  • A outra imagem é de Viena, na Áustria. O registro foi feito em 2014 pelo profissional durante ensaio do cônsul da República Checa em Blumental e sua esposa.  

ABRIL

O profissional acompanhou a gigante Hahnemühle também no Brasil. O stand da empresa da Feira Fotografar – que acontece todos os anos em São Paulo/SP – trouxe exposta uma imagem de Wedding Photoshoot assinado por Jared Windmüller.

Rápida biografia de Windmüller

O fotógrafo Jared Windmüller nasceu em Joinville/SC. Ele manteve sua própria galeria fineart na praia de Jurerê Internacional, localizada em Florianópolis, até 2016.

No mesmo ano, decidiu emigrar para Utah (EUA), atraído pelas belezas naturais do lugar.

Entre os feitos de Windmüller, estão o status de primeiro artista e testar o novo papel fineart Photo Rag® Metallic. Este papel se destaca pelo tom prata cintilante do seu acabamento.

Nossa equipe da Viacolor se sente honrada em ser a escolha de grandes nomes da fotografia, como Jared. Que tenha sucesso sempre, por todos os cantos onde passar!

Conheça 5 fotógrafas que já entraram para a História

Hoje é dia de valorizar as colegas fotógrafas que, mesmo ainda carecendo do devido reconhecimento (a luta está só começando!), todos os dias levantam, saem de casa e trabalham para deixar sua marca no mundo da fotografia. Para inspirar a todos nós, separamos aqui cinco mulheres que fizeram e fazem História com seus cliques.

Alice Martins (1980 – )

Brasileira nascida em 1980, Alice mora no Iraque e faz cobertura da crise humanitária causada pelos conflitos no Oriente Médio. A Guerra da Síria e os confrontos contra o Estado Islâmico no Iraque foram registradas por suas lentes. É colaboradora de veículos como Harper’s, Time, Stern, Newsweek e The Washington Post.

 


Annie Leibovitz (1949 -)


Conhecida como a “fotógrafa dos famosos”, seu registro mais icônico é a fotografia de John Lennon abraçado com Yoko Ono para a capa da Rolling Stone, em 1971. A americana é conhecida por estabelecer uma relação de intimidade com os modelos que retrata. Já fotografou Angelina Jolie, Demi Moore, Dolly Parton, Whoopi Goldberg, entre outras celebridades.

Crédito do retrato: Julian Siammonds


Carol Guzy (1956 – )

Única jornalista a receber o Prêmio Pulitzer quatro vezes e primeira mulher a ganhar o prêmio Newspaper Photographer of the Year. Fotógrafa do jornal The Washington Post desde 1988, registrou eventos como a erupção do vulcão colombiano Nevado del Ruiz em 1985 e a tragédia no Haiti após o terremoto de 2010. Sua fotografia mais famosa é de 2000, quando clicou o refugiado do Kosovo Agim Shala, de dois anos de idade, passando por uma cerca de arame farpada para ficar com sua família.

Crédito foto menino: Carol Guzy / The Washington Post / Getty Images
Crédito Retrato dela: Jeanie Adams-Smith



Carrie Mae Weems (1953 – )

Nascida em Oregon, Carrie é atualmente uma das mais influentes artistas americanas. A fotógrafa se notabilizou por abordar de forma investigativa questões como racismo, identidade cultural, desigualdade de gênero e classe. Sua arte envolve fotos, texto, tecido, áudio e vídeo.

 


Dorothea Lange (1895-1965)


Considerada a fotógrafa da Grande Depressão, é autora de uma das fotos mais conhecidas da História dos Estados Unidos: Mãe Migrante, de 1936. Na imagem, Florence Owens Thompson, 32 anos, aparece abatida e triste por não ter comida para os filhos. O registro apareceu em mais de 10 mil publicações e jornalistas americanos passaram décadas tentando encontrar Florence, que foi localizada apenas em 1970, vivendo em um trailer. Com suas lentes, Dorothea Lange deu vida aos pobres, aos esquecidos, perseguidos, famílias do campo, trabalhadores e imigrantes. Seus registros retratam uma época de sofrimento. Ela morreu em decorrência de um câncer de esôfago em 1965, alguns dias antes de inaugurar a exposição que retratava sua obra no Museu de Arte Moderna, de Nova York

Tudo o que você precisa saber antes de comprar equipamentos fotográficos no exterior

Muitos profissionais optam por comprar equipamentos fotográficos no exterior. Seja em viagens ou por meio de e-commerce, esta é uma solução amplamente adotada para quem está adquirindo equipamento de trabalho ou quer fazer substituições.

Mas vale mesmo a pena comprar equipamento fora do Brasil?

Há prós e contras em inúmeras situações.

Por exemplo, você pode estar em viagem e querer comprar equipamentos fotográficos por lá. Uma das principais razões pelas quais as pessoas optam por isso é o valor, que é um tanto mais baixo que no Brasil.

Se este é o seu caso, você precisa ficar de olho na tributação que irá pagar ao trazer o equipamento fotográfico para cá. Há normas com relação a isso e, em alguns casos, seu equipamento pode ser categorizado como “bem de uso pessoal”, sim, e nós falaremos sobre isso mais adiante.

No entanto, se você for taxado, talvez o valor não valha a pena tanto assim. O melhor é colocar tudo na ponta do lápis.

Há outra situação em que profissionais brasileiros compram equipamentos fotográficos do exterior: usando sites estrangeiros. Fazem isso também – principalmente – pelo valor.

Neste caso, há a limitação de catálogo para vendas: na maioria dos e-commerce, nem todos os produtos estão disponíveis para vender a outros países. E, além disso, há demora na entrega.

Se você fez as contas e viu que compensa comprar fora do país, vá em frente. Se você ainda não decidiu, nós reunimos algumas perguntas mais frequentes para quem pensa em adquirir equipamento fotográfico no exterior. Veja:

  • Há risco de ser taxado no aeroporto?

Há esse risco, sim. Isso acontece porque há um limite para o valor das compras no exterior. De acordo com o site do Aeroporto Internacional de Guarulhos, quem viaja de avião para o exterior pode gastar, no máximo, US$ 500 em compras, sob pena de pagar multa de 50% sobre o valor excedente (por navio ou via terrestre, a cota de isenção cai para US$ 300).

  • Câmeras e lentes entram como uso pessoal?

Uma câmera fotográfica pode ser compreendida como bem de uso pessoal e fica, portanto, isenta de taxação. Apenas uma. No entanto, em caso de abordagem, será necessário comprovar uso pessoal desta câmera. Já a aquisição de lentes deve, portanto, obedecer ao teto de (no máximo) 3 itens iguais e estar dentro da quota de US$ 500 estabelecida pela Receita Federal.

  • Quais impostos eu tenho que pagar?

Caso o valor dos bens adquiridos ultrapasse a quota, será cobrado um tributo de 50% do valor excedente a US$ 500. O mesmo será aplicado nos casos em que a sua mala for revistada e não estiver condizente com a Declaração de Bagagem Acompanhada, a DBA, feita pelo passageiro ainda no avião.

  • Se eu transferir o dinheiro para um amigo que está em viagem vou pagar imposto?

Há inúmeras maneiras de enviar dinheiro ao exterior. Cada uma delas tem uma margem de tributação, além de serem serviços e, portanto, cobrar taxas. Para saber mais, leia esta matéria da Revista Exame.  

  • Quais são as alternativas nacionais para compra?

O site do Mercado Livreum e-commerce amplamente conhecido – é um excelente canal de compra e venda. Muitos profissionais da fotografia fazem aquisições com bom custo-benefício por lá.   

A Digimagem é revenda oficial da Fujifilm no Brasil. Tem, portanto, os melhores produtos disponíveis. A loja está localizada em Florianópolis/SC, mas seu e-commerce entrega produtos em todo o país.